Blog

Uma trilha de conhecimento!

             O ano era 1993, sintonizei a MTV e sentei-me pra assistir ao programa Gás Total. Helmet e House of Pain deram as caras com uma cacetada homérica, o som, claro, Just Another Victim. No dia seguinte cacei o disco (opa, ainda tenho o vinil em casa) e fiquei maravilhado com a brincadeira que estava rolando por ali.

             A fusão de rap com rock dava uma atmosfera de urgência, além daquele climão urbano. A idéia não era inovadora, vale lembrar que o Aerosmith juntou forças com o Run-DMC em 1986 e o Anthrax  já havia gravado I´m the man em 1988, isso sem contar os Beastie Boys com No Sleep ´Till Brooklin. Enfim, de lá pra cá comecei a me atentar mais as obras que eram produzidas pra produções cinematográficas. Não estou me referindo às peças feitas por grandes maestros como John Williams ou Enio Morricone, que vão ganhar um texto logo mais.

             Abaixo segue algumas das trilhas mais bacanas montadas para o cinema, não esqueça de colocar as sua preferida nos comentários. Boa viagem.

 Quase Famosos (2000)

             A obra prima do diretor Cameron Crowe nos presenteia com uma trilha absolutamente deliciosa. O filme mostra os bastidores de uma turnê através dos olhos de William Miller, um adolescente que vê a chance de escrever sobre a banda Stillwater para a revista Rolling Stone.

             O play traz maravilhas dos anos 70 como That´s the Way do Led Zeppelin, Sparks do The Who além da Fever Dog do Stillwater, banda criada para o filme que teve o som escrito por Nancy Wilson, Cameron Crowe e Peter “FUCKIN” Frampton.

O Corvo (1994)

             Um dos melhores filmes baseados em histórias em quadrinhos traz uma trilha sonora impactante e bastante pesada. Não entraremos na tragédia que assombra esse filme, esse post não é pra isso.

             A bolacha traz verdadeiros petardos como Darkness do Rage Against the Machine, MilkToast do Helmet  e Badge do Pantera.

Pulp Fiction (1994)

             Quentin Tarantino é um dos reis das trilhas sonoras legais pra caralho. A trilha de Pulp Fiction é uma compilação saborosa que deve ser degustada sem moderação.

             Além de Misirlou do Dick Dale temos Jungle Boogie do Kool and the Gang, Let´s Stay Together de Al Green, passando por Dusty Springfield, The Centurions, Chuck Berry… Mano, corre e ouve logo esse disco.

Judgment Night ( 1993)

             Essa é daquelas trilhas que são mais conhecidas que o filme. Sinceramente, o filme é bem legal, mas a trilha… Ah… a trilha. O disco começa sem massagem com Helmet e House Pain e a maravilhosa Just Another Victim .  As “duplas” formadas pra dar vida ao álbum vão de Teenage Fanclub e De La Soul, e sua “relaxante” Fallin´, até Slayer e Ice T, fazendo um compilado de canções da banda britânica Exploited , passando por Boo Ya Tribe com Faith no More e Pearl Jam com Cypress Hill.

             Um disco obrigatório pra entendermos que música não tem barreiras.

Forrest Gump (1994)

             A beleza desta trilha sonora fica na lição da história americana contada através da música que predomina durante os eventos aos quais Tom Hanks vive. Nas cenas iniciais, Forrest dança para um talentoso rapaz que, posteriormente, apareceria em uma  performance histórica no programa Ed Sullivan, Elvis estava na TV. Mais tarde,Fortunate Son do Creedence Clearwater Revival toca quando Forrest e Bubba vão ao Vietnã. E, finalmente, Lynyrd Skynyrd, Sweet Home Alabama da as caras quando Jenny volta para Greenbow e culmina sua história.

             Na bolacha ainda podemos conferir, Land Of 1000 Dances do Wilson Pickett, Bob Dylan com Rainy Day Women #12 & 35 e Blowin´ in the Wind, Aretha Franklin com Respect, Hendrix, Beach Boys, The Doors, The Four Tops e mais uma cacetada de gente boa.

Rejeitados pelo Diabo (2005)

             Filmão. Não adianta tentar me convencer ao contrário, pra mim é filmão… FILMAÇO. O filme é um road movie sádico que culmina na espetacular sequência final devidamente embalada por Free Bird do Lynyrd Skynyrd. A película é embalada por muito Southern e Country Rock, dos bons.

             O play nos brinda com Rocky Mountain Way do Joe Walsh, Three Dogs Night e sua indefectível Shambala, James Gang com Funk #49 entre outras maravilhas sonoras. Assista o filme e depois ouça a trilha, ou ouça a trilha e depois assista o filme…

A vida Marinha com Steve Zissou (2004)

             Alguns bons motivos me levaram ao cinema para conferir o filme de Wes Anderson. Primeiro, é um filme de Wes Anderson, segundo, o protagonista é o Bill Murray, o projeto ainda trazia Seu Jorge, Willem Dafoe, Cate Blanchett e Jeff Goldblum. Entre piadas non sense e uma estética lindamente fotografada, o filme nos presenteia com uma trilha sonora divertida e peculiar.

             Da sentimental The Way I Feel Inside dos Zombies, passando The Stooges com Search and Destroy e caindo em David Bowie com Life on Mars?, entretando, a curiosidade fica para as performances do brasileiro Seu Jorge para algumas músicas do artista britânico.

             Seu Jorge entrega versões em português de alguns dos maiores clássicos do Bowie.

             Bowie uma vez disse: “Had Seu Jorge not recorded my songs in Portuguese I would never have heard this new level of beauty which he has imbued them with.”

             Quem sou eu pra discordar.

Buena Vista Social Club (1998)

             Buena Vista nasceu como um projeto do guitarrista Ry Coode onde ele pretendia unir músicos cubanos da velha guarda para tocar clássicos da ilha de Fidel. Win Wenders entrou com a câmera pra filmar duas das apresentações, uma em Nova York e outra em Amsterdã. O resultado?

             Uma obra emocionante onde, Wenders, privilegia a musicalidade e a sabedoria. É transcendente o testemunho da rica herança de Cuba apresentadas nas vozes de Ibrahim Ferrer, Omara Portuondo, Compay Segundo e outros expoentes. Canções como Chan Chan e a faixa-título, interpretada pelo lendário pianista Rubén González, sentem-se vibrantes e nostálgicas, pavimentando o caminho para uma série turnês internacionais que continuam até hoje.

             Absolutamente mágico.

Guardiões da Galáxia (2014)

             Guardiões foi a grande surpresa de 2014. Personagens desconhecidos do grande público levou uma multidão aos cinemas e de quebra entregou uma belíssima trilha sonora. O play traz uma seleção cuidadosamente selecionada pra interagir com o filme. Hoje quase todo mundo conhece Hooked on a Feeling na versão do Blue Swede (o som é um cover do cantor B.J.Thomas), mas não é só.

             A trilha entrega Marvin gaye, David Bowie, Jackson 5, The Runaways, Elvin Bishop e muita coisa obrigatória. A poucos dias foi divulgada a trilha do Guardiões da Galaxia 2 com Cheap Trick, Sam Cooke, Fleetwood Mac, Looking Glass e muita coisa putaqueparivelmente legal.

 

Conheça nosso produtos no site http://babilloniastore.com.br/

 

 

Anúncios

ARES, O DEUS DA GUERRA NA CULTURA POP

Ares, o Deus da guerra na cultura pop

O Deus da guerra está em alta devido ao vindouro filme da Mulher Maravilha, o vilão foi confirmado e já deu pra ter um rápido (pensa num rápido, mas bem rápido mesmo…) vislumbre do seu visual durante o último trailer da Amazona.

Mas não é só de Mulher Maravilha que “vive” do Deus da Guerra. O filho de Zeus e Hades (conforme a mitologia grega) já deu as caras em animes, jogos de video game e quadrinhos. Vamos dar uma conferida em algumas encarnações de Ares por aí. Se você lembrou alguma aparição dele que não foi dita aqui deixe nos comentários.

Ares – Mitologia Grega

Ares, o temido deus da guerra, podia matar um mortal com apenas um grito. O culto de Ares era pequeno, sendo registrado principalmente na região norte da Grécia e em Esparta. Embora muitas vezes tratado como o deus olímpico da guerra, ele é exatamente o deus da guerra selvagem. Os romanos o chamaram de Marte e classificaram como deus da guerra e da agricultura. Inclusive construíram vários templos em sua homenagem.

Ares – DC Comics

O vilão deu as caras na revista de estréia da Mulher-Maravilha, em 1942. Durante toda a trajetória da nossa amazona, Ares sofreu várias mudanças, tudo por causa das várias remodelagens que a DC aplicou em seu universo. Antes da DC transformar seu universo, Ares se aliou com o Anti-Monitor e Hades. Na fase pós-crise Ares tentou erradicar as amazonas e se rebelou contra seu pai e outros Olimpianos.

O deus da guerra chegou a morrer nas mão da Mulher Maravilha, mas sua influência ainda podia ser sentida, estamos falando de um deus!

 

Ares – Marvel Comics

O Ares da “Marvel” apareceu pela primeira vez em 1948, na revista Venus número 4 (ainda sob o selo da Timely Comics, a primeira hq com o selo Marvel sairia apenas em agosto de 1961), com o nome de Marte. Como Marvel Comics, podemos marcar sua primeira aparição na edição 196 do Thor em 1966, aí como Ares.

Ele tentou conquistar o Olímpio em varias ocasiões, por vezes aliado com seu tio, Plutão (Hades), Deus do Sub-Mundo. Seu meio-irmão Hercules se opôs em muitos desses seus planos. Ares odeia seu meio-irmão, Hérculespois ele matou suas monstruosas aves, e seu ódio aumentou quando notou que Hércules era o favorito de Zeus, enquanto ele foi rejeitado por seu comportamento brutal. Ah vá.

 

God Of War

Aqui Ares responde aos pedidos de Kratos, o acudindo num belo momento de perrengue. Agora, com as Lâminas do Caos em mãos, Kratos chuta bundas e corta cabeças. O Rei Bárbaro que o diga!

Enquanto segue vitorioso por toda a Grécia, Kratos acaba por liderar um ataque a uma vila nos arredores de Atenas, sem saber que Ares colocaria sua esposa e filha lá. Kratos acidentalmente as mata e tem suas cinzas grudadas em sua pele, dando origem ao Fantasma de Esparta. Kratos a partir desse momento segue em busca de vingança a fim de matar o Deus da Guerra.

 

Cavaleiros do Zodíaco

Além da Guerra Santa contra Poseidon, Atena se envolveu em uma terrível guerra contra Ares, onde os Cavaleiros quase foram vencidos e apenas venceram graças às armas de libra.

Segundo o Hipermito, Ares atacou Atena e seus Cavaleiros após a guerra contra os Gigantes. A Batalha foi considerada a mais severa dentre as várias Guerras Santas que existiram.

A Guerra Santa entre os Berserkers de Ares e os Cavaleiros se prolongou por muito tempo sem uma pausa sequer. Nem mesmo com a participação dos Cavaleiros de Bronze, de Prata e de Ouro, totalizando 88 guerreiros, ainda sim, o exército de Atena não foi capaz de subjugar as Legiões de Ares.

Atena então é obrigada a permitir, pela primeira vez que seus Cavaleiros usassem as Armas da Armadura de Libra em batalha. Com as doze Armas, os Cavaleiros de Atena conseguem reverter a vantagem das Legiões de Ares. Ao ver seu exército sendo destruido, Ares covardemente foge para o Submundo.

 

Outras obras

Ares pode ser visto em outras obras como Hércules da Disney, Percy Jackson e o Ladrão de Raios entre muitos outros. Lembrou de alguma aparição bacana do Deus da Guerra? Deixa nos comentários.

Conheça nosso produtos no site http://babilloniastore.com.br/

ACQUAMAN INICIA FILMAGENS

James Wan (Invocação do Mal 1 e 2) publicou em seu Twitter que as filmagens para o longa metragem de  Acquaman iniciaram. A legenda postada diz “Months of intensive prep have led to this. Here we go.” Meses de preparação intensiva levaram até isso. Aqui vamos nós“.

O longa tem roteiro de Will Beall e tem Jason Momoa no papel principal. A previsão de estréia é 21 de dezembro de 2018.

 

//platform.twitter.com/widgets.js

Conheça nosso produtos no site http://babilloniastore.com.br/

TRAILER DOS DEFENSORES

     Oba! Saiu o trailer da série Os Defensores, dá uma conferida no link abaixo.

     A série junta Demolidor, Jessica Jones, Luke Cage e Punho de Ferro com o objetivo de salvar Nova York da misteriosa vilã Alexandra (Sigourney Weaver).

     O lançamento mundial será 18 de agosto pelo canal streaming Netfilx, lembrando que esse ano ainda tem a série do Justiceiro!! OH MARAVILHA!

     Conheça nosso produtos no site http://babilloniastore.com.br/

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑